ProveNET Sinal de Internet Inteligente!

A melhor banda larga do Ceará!

Comercial Valéria

Comercial Valéria - Valéria Modas - Drogaria Valéria

JP Pneus

Pneus - Peças - Acessórios para Motos

Assistência Familiar Caminho do Céu

Sua Família Merece o Melhor.

Anuncie Aqui!

Não perca tempo, anuncie já aqui!

sábado, 17 de agosto de 2019

MOMBAÇA: Poeta Gilvan Azevedo participa da 13ª Bienal Internacional do Livro do Ceará

Com tema "As cidades e os livros", a 13ª Bienal Internacional do Livro do Ceará começou nesta sexta-feira (16), no Centro de Eventos, e segue até o dia 25 de agosto com uma extensa programação.

O poeta mombacense Gilvan Azevedo participa do grande evento representando a cidade de Mombaça.
Com dez dias de programação que envolve lançamentos de livros, mesas redondas, oficinas e shows, as atividades circulam em eixos temáticos como mulheres, ilustração e juventude. São mais de 60 autores brasileiros e estrangeiros confirmados entre os 300 convidados do evento literário.







sexta-feira, 16 de agosto de 2019

Chega a 27 o número de presos no Ceará em operação do MP contra facções criminosas

Mais uma pessoa foi encontrada e chega a 27 o número de presos no Ceará em operações do Ministério Público contra facções criminosas. Desde a madrugada de quinta-feira, 15, membros do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), em parceria com a Polícia Civil (PCCE), estão em busca de cumprir 35 mandados de prisão e 29 de busca e apreensão nas cidades de Fortaleza, Independência, Sobral, Juazeiro do Norte, Groaíras, Aquiraz, Maracanaú e Pacatuba.

As operações Jericó e Al Qaeda seguem ações em vários estados coordenadas pelo Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas (GNCOC). Os alvos são pessoas suspeitos de terem algum tipo de envolvimento com facções criminosas. De acordo com o promotor de Justiça Adriano Saraiva, integrante do Gaeco, no Ceará, os presos tinham forte atuação dentro de unidades prisionais do Estado, tanto que 15 mandados tinham como alvos pessoas já encarceradas.

Outras 11 ordens de prisão foram cumpridas no Estado. "Houve ainda uma prisão em flagrante por porte ilegal (de arma de fogo) durante a operação", explicou o promotor em entrevista ao O POVO Online, na última quinta-feira. Os alvos para os quais foram expedidos mandados, mas não foram encontrados, são considerados foragidos.

"Sabemos que essas facções estão espalhadas pelo Brasil. Uma ação conjunta como esta ataca, de uma só vez, os grupos em todas essas localidades. Traz efetivamente um prejuízo a essas organizações", ressaltou o promotor. Saraiva negou o envolvimento de servidores públicos entre os suspeitos.

Operação Jericó
Segundo ele, as investigações sobre tais alvos ganharam força após a série de ataques realizadas no início deste ano contra bens públicos no Ceará.Conforme as investigações, o suspeitos integravam um complexo esquema criminoso composto, em sua maioria, por membros de posições de comando dentro da facção PCC e por indivíduos a eles relacionados. Apurou-se que, entre os meses de novembro de 2018 e fevereiro de 2019, os investigados praticaram crimes como tráfico de drogas, associação para o tráfico, comércio irregular de arma de fogo e o planejamento de homicídios e ataques a agentes e a equipamentos públicos, tanto na Capital quanto no Interior.

Operação Al Qaeda
A “Operação Al Qaeda” também tem relação com a facção PCC, sendo um desdobramento da “Operação Saratoga”, deflagrada também pelo Gaeco do MPCE em dezembro de 2017. De acordo com as investigações, o PCC estaria aumentando sua influência aqui no Estado e ampliando consideravelmente o número de “batismos”, com o objetivo de consolidar o comando de todas as unidades prisionais da Região Metropolitana de Fortaleza, e ampliar a atuação tanto dentro quanto fora dos presídios.

De acordo com o apurado, entre os meses de maio de 2015 a julho de 2016, a facção praticou uma série de crimes, como tráfico de drogas, homicídios, ameaças e ataques a agentes e equipamentos públicos. O bando contava com uma vasta rede de comparsas que atuavam como gerentes das “bocas” de tráfico, como “correrias” (pessoa que vende droga e repassa informações) e como “laranjas”, que forneciam suas contas bancárias para a movimentação do dinheiro escuso.

Os envolvidos também realizavam ameaças e roubo de veículos para levantar fundos para os negócios ilícitos. Também foram utilizados cooperados para a combinação de ataques a ônibus e a delegacias de polícia, inclusive com a possibilidade de morte de policiais.

Brasil
As ações realizadas nesta quinta-feira se estendem por outros estados: Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul e Pernambuco. O centro das operações é no Rio de Janeiro. Ao todo, são cumpridos mais de 300 mandados.



Fonte: O Povo Online


Fim da obrigatoriedade de simulador para CNH valem a partir de setembro

O número de aulas para tirar a CNH (Carteira Nacional de Habilitação) vai ser reduzido a partir do dia 16 de setembro.

No mesmo período, também será alterado o processo para obter a ACC (Autorização para Conduzir Ciclomotor), documento exigido para guiar cinquentinhas, como são conhecidos os ciclomotores com motor de até 50 cm³.

Entenda as mudanças em detalhes:

CNH (categoria B)
a partir de 16 de setembro próximo, acaba a exigência de uso do simulador nas autoescolas para quem quiser tirar a CNH na categoria B (carros). Ele passa a ser facultativo;
com isso, cai o número de horas/aulas obrigatórias. Ele passará de 25 para 20 horas.

ACC (cinquentinha)
a partir de setembro próximo, durante 1 ano, quem quiser guiar cinquentinhas poderá fazer as provas teórica e prática sem ter feito aulas. Somente se for reprovado, terá de passar por aulas práticas;
a partir de setembro de 2020, voltam a ser exigidas as aulas, mas o número vai cair de 20 para 5 horas, sendo que uma delas dever ser noturna;
no exame prático, o candidato poderá usar seu próprio ciclomotor — desde que o veículo tenha, no máximo, 5 anos de uso.

Críticas de especialistas
Na época em que foram anunciadas, em junho último, o governo disse que o objetivo era desburocratizar esses processos e reduzir custos, mas as mudanças foram criticadas por especialistas em trânsito.

“Quando reduzimos a carga para baratear custos, aumentamos o risco de acidentes no futuro, e, como consequência, aumentar custos na área da saúde, por exemplo”, afirmou Renato Campestrini, gerente técnico do Observatório Nacional de Segurança Viária.

Para Mauricio Januzzi, advogado especialista em direito do trânsito, “o governo está tirando algumas áreas essenciais para formação do condutor, em detrimento de um custo mais baixo”.

“Talvez, em nome da ‘desburocratização’, tenhamos um cenário triste com o aumento de acidentes e mortes no trânsito”, disse Flavia Vegh Bissoli, vice-presidente da comissão de trânsito da OAB-SP.

Para o presidente do Sindicato das Autoescolas do Estado de São Paulo, Magnelson Carlos de Souza, desburocratizar o processo é positivo, mas os condutores deveriam continuar fazendo aulas em simuladores.

“O simulador tem algumas vantagens. Ele é mais rápido e mais barato. Se somar as duas coisas, não tenho dúvidas de que ele [o aluno] vai optar pelo simulador. Mas o mercado é quem vai moldar”, afirmou.

Outras medidas
Também em junho passado, o governo federal também propôs outras mudanças no Código de Trânsito, mas que precisam ser aprovadas pelo Congresso, entre elas o aumento da pontuação máxima para suspensão da CNH por infrações e o fim da multa para quem transportar crianças sem cadeirinha.







Brasil: Taxa de desemprego do país recua para 12% no trimestre

No segundo trimestre, a taxa de desemprego do país recuou para 12%, percentual inferior aos 12,7% do primeiro trimestre deste ano e aos 12,4% do segundo trimestre de 2018.

A taxa caiu em dez das 27 unidades da Federação na passagem do primeiro para o segundo trimestre deste ano, segundo os dados divulgados no último dia (15) pelo IBGE. As maiores quedas ocorreram no Acre, de 18% para 13,6%, Amapá, de 20,2% para 16,9%, e em Rondônia, de 8,9% para 6,7%. Nas outras 17 unidades da Federação, a taxa se manteve.

Na comparação com o segundo trimestre de 2018, a taxa subiu em duas unidades, Roraima (de 11,2% para 14,9%) e Distrito Federal (de 12,2% para 13,7%), e caiu em três: Amapá (de 21,3% para 16,9%), Alagoas (de 17,3% para 14,6%) e Minas Gerais (de 10,8% para 9,6%). Nas demais unidades, a taxa ficou estável.

Busca por emprego
Um contingente de 3,35 milhões de desempregados no país procura trabalho há pelo menos dois anos. Isso equivale a 26,2% (ou cerca de uma em cada quatro) pessoas no total de desocupados no Brasil. Os números do segundo trimestre deste ano são recorde desde o início da série histórica da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), em 2012.

Os dados foram divulgados dia (15) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo os números, no segundo trimestre de 2018 o contingente de desempregados procurando trabalho há no mínimo dois anos tinha menos 196 mil pessoas, ou seja, era de 3,15 milhões.

No segundo trimestre de 2015, o total era de 1,43 milhão de pessoas, ou seja, menos da metade do segundo trimestre deste ano.

“A proporção de pessoas à procura de trabalho em períodos mais curtos está diminuindo, mas tem crescido nos mais longos. Parte delas pode ter conseguido emprego, mas outra aumentou seu tempo de procura para os dois anos”, avalia a analista da PNAD Contínua Adriana Beringuy.



Fonte: CN7


EXTREMA POBREZA: Mais de 3 milhões de pessoas vivem com até R$ 89 por mês no Ceará

Levando em consideração o número de famílias no Ceará, são 1.027.487 pessoas vivendo na miséria, segundo o Ministério da Cidadania.

A extrema pobreza atinge 3.029.625 pessoas no Ceará, de acordo com dados do Cadastro Único para Programas Sociais do Ministério da Cidadania. No Brasil, é considerada extrema pobreza a população que sobrevive com renda familiar per capita de até R$ 89 por mês. Isso significa que em uma família de quatro pessoas, por exemplo, o somatório do valor total que os membros ganham por mês dividido por quatro é inferior a R$ 89. Os dados correspondem ao mês de junho de 2019.

Levando em consideração o número de famílias no Ceará, são 1.027.487 pessoas vivendo na miséria, segundo o Ministério da Cidadania. O número representa a adição de 31,7 mil famílias quando comparado às 995.777 famílias vivendo na extrema pobreza registradas pelo Governo Federal em junho de 2018.

O Ceará é o quarto estado do Brasil com o maior número de famílias vivendo na extrema pobreza. Apenas Bahia (1,82 milhão); São Paulo (1,41 milhão) e Pernambuco (1,15 milhão) superam o resultado cearense.

Políticas sem eficácia
De acordo com o professor Vitor Hugo Miro, coordenador do Laboratório de Estudos da Pobreza (LEP) da Universidade Federal do Ceará (UFC), políticas como a de valorização do salário mínimo não demonstram tanta eficácia por normalmente terem efeito apenas sobre os que já se encontram próximo à linha de saída da extrema pobreza. "É uma política muito limitada", diz, acrescentando que é preciso pensar em um caminho para reverter o crescimento dessa estatística.

Na avaliação do professor, o Bolsa Família representa uma importante ferramenta de transferência de renda, com efeitos a curto e longo prazo. "O Bolsa Família tem algumas condicionalidades, como o acompanhamento da frequência escolar e da saúde. São esses fatores que vão permitir que a família saia da pobreza no futuro", diz.

Baixa renda
Os dados do Ministério da Cidadania revelam, ainda, que 5,1 milhões de pessoas no Ceará estão cadastradas em programas sociais do Governo Federal. Em situação de pobreza (renda familiar per capita de R$ 89,01 a R$ 178) estão 480,8 mil habitantes, e 1,13 milhão sobrevivem com R$ 178,01 a meio salário mínimo, atualmente em R$ 998.





Preso o suspeito de matar professora cearense com mais de 25 facadas em Goiás

Um sushiman, de 35 anos, foi preso suspeito de matar a namorada, de 34, após uma discussão provocada por ciúmes, em Anápolis, a 55 km de Goiânia. Segundo a Polícia Civil, Rafael da Silva de Andrade feriu Aila Pinto Cardoso com mais de 25 facadas. Os dois estavam morando juntos havia somente dez dias após um relacionamento de quatro meses nas redes sociais.

Rafael foi detido na quinta-feira (15), em Águas Lindas de Goiás, no Entorno do DF, onde estava se escondendo. Ele, que ainda não tem advogado, alegou à polícia que agiu em legítima defesa.

O crime foi cometido no último dia 16 de julho, na quitinete onde o casal estava morando. O delegado Vander Coelho disse que, Aila morava no Ceará, mas se havia se mudando recentemente para viver com o namorado. Apesar do pouco tempo juntos, o relacionamento era conturbado.

"Nesses primeiros dez dias que eles ficaram juntos, o relacionamento já foi permeado por algumas discussões até que nessa última, que foi uma discussão mais ríspida, culminou com o homicídio", explica.

Coelho conta que no dia do crime eles almoçaram na casa do irmão de Rafael. Na volta, houve uma discussão, os dois brigaram e ela foi assassinada. Logo depois, Rafael trancou a casa e fugiu.

Após ser detido, o homem alegou que se defendeu porque seria atacado pela mulher com a faca. Porém, a forma como a vítima foi morta e quantidade de golpes descredenciam a versão perante à polícia.

"Já pela desproporção de força que os dois têm e o fato dele ter pego essa faca, os múltiplos golpes, foram mais de 25 facadas que ele deu na mulher. Isso mostra que não tem o que se dizer de legítima defesa", destaca.

Foragido por outro crime
O delegado explicou que Rafael já era foragido da Justiça por outro feminicídio, cometido em 2011, em Brasília. O delegado disse que estava cumprindo pena.

"Ele respondeu por esse crime e ficou preso por sete anos. No final do ano passado, ele recebeu um indulto de Natal, mas nunca mais voltou para a cadeia", conta.

Por conta disso, conforme o delegado, o homem evitava trabalhos de carteira assinada e optava por empregos informais.

Ele foi autuado por homicídio e pode pegar uma pena de até 30 anos caso seja condenado novamente.



Fonte: G1 CE

Morre menino de 4 anos que teve 95% do corpo queimado em incêndio no interior do Ceará

A criança de 4 anos que teve 95% do corpo queimado em Tianguá, no Norte do Ceará, morreu na última quinta-feira (15), por volta de 20h, conforme informou a assessoria do Instituto Doutor José Frota (IJF), em Fortaleza. Jesus Willian Alves Braga brincava em casa quando o incêndio começou e, agora, um inquérito policial foi instaurado para apuração de abandono de incapaz.

O incêndio aconteceu na quarta-feira (14), quando a criança de 4 anos ficou com 95% do corpo, no Bairro Subestação, na cidade de Tianguá. O garoto foi socorrido por um casal de vizinhos, que pediu ajuda para um carro da polícia que passava pelo local no momento.

Moradores da região afirmam que o menino estava brincando quando ateou fogo no colchão utilizando um isqueiro. Segundo a polícia, o garoto estava no corredor de casa e seu pai estava no interior da residência no momento do incidente. Os responsáveis foram ouvidos sobre o assunto.

Jesus William foi levado pelos policiais até uma unidade hospitalar da região e foi transferido, por uma aeronave da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer), para o Instituto Doutor José Frota, em Fortaleza.



Fonte: G1 CE