Categorias

Fotos & Eventos (41) Futebol (20) Humor (6) Internacional (41) Mombaça (707) Nacional (329) Polícia (568) Política (98) Regional (749) Tecnologia (28)

Breaking News

Comercial Valéria

domingo, 23 de abril de 2017

Léo Pinheiro entrega provas a Sérgio Moro que pode deixa Lula a um passo da prisão

Os advogados de defesa do sócio da OAS, Léo Pinheiro, entregaram à Justiça Federal do Paraná documentos que servirão de provas para tentar comprovar que o ex-presidente #Lula realmente foi beneficiado com a reforma do apartamento tríplex em Guarujá, São Paulo.

Entre os documentos entregues para o Ministério Público estão os registros de dois carros em nome do Instituto Lula que, no ano de 2011 e 2013, passaram pelos pedágios a caminho do Guarujá. No entanto, não existe um documento específico que comprove que o destino de Lula era o apartamento.

De acordo com o Jornal ‘O Globo’ também foram entregues à Justiça, registros de ligações telefônicas feitas em 2012 entre Léo Pinheiro e pessoas que mantinham relação com Lula, entre essas pessoas estão Clara Ant, Paulo Okamotto, José de Filippi Jr, e o segurança Valdir Moraes da Silva.

Também foram entregues arquivos de e-mails anexos que mostram em detalhes a agenda de Lula, na qual aparecem descritos os dias de encontro entre Léo Pinheiro e Lula, além de mensagens deixadas à secretária que trabalhava no Instituto Lula, dizendo que o empresário gostaria de falar com o petista.

Pedido de destruição de provas

Na semana passada, Léo Pinheiro já havia feito acusações de que Lula realmente era o proprietário do apartamento situado no condomínio Solaris e que inclusive as reformas no apartamento seriam financiadas pela OAS com o aval do ex-presidente e de sua mulher Marisa Letícia.

O empresário também afirmou que em 2014, o ex-presidente tinha dado uma ordem a ele para que destruísse todos os documentos que comprovassem que ele era o proprietário do apartamento e de que ele mantinha contato com a empreiteira OAS.

Réus

Léo Pinheiro e Lula se tornaram réus na Justiça no ano de 2016. A acusação que pesa sobre eles, feita pelo juiz Sérgio Moro é a de que Lula recebeu R$ 3,7 milhões em propinas da OAS em contratos com a Petrobras e teria utilizado esse dinheiro para financiar reformas no apartamento tríplex em Guarujá.

Defesa de Lula

Em nota, o advogado do ex-presidente petista, Cristiano Zanin Martins, afirmou que todos os documentos não comprovam, de forma nenhuma, as afirmações feitas por Léo Pinheiro. Zanin classificou a acusação como uma "versão negociada para agradar" aos procuradores para tentar destravar seu acordo de delação premiada.

Léo Pinheiro ainda fechou acordo de delação premiada e está em processo de negociação com o Ministério Publico Federal.




Fonte: MassapeCeara


Nenhum comentário:

Postar um comentário