Categorias

Fotos & Eventos (41) Futebol (21) Humor (6) Internacional (42) Mombaça (710) Nacional (330) Polícia (569) Política (98) Regional (751) Tecnologia (28)

Breaking News

Comercial Valéria

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Trio é preso suspeito de integrar quadrilha responsável por mais de 80 mortes no CE

Três homens, com idades entre 31 e 41 anos, foram presos suspeitos de formar uma organização criminosa responsável por roubos e assassinatos no município de Quixadá, no Ceará. Segundo a Polícia Civil, a quadrilha é responsável por mais de 80 mortes. O trio foi preso em Apuí, cidade a 453 km de Manaus, onde estavam escondidos há cerca de um ano e meio.

Os três homens tinham mandados de prisão expedidos pela 1ª Vara da Comarca de Quixadá. Conhecidos como "Novos Cangaceiros", o grupo é suspeito de roubar bancos e carros-fortes, além de assassinar um sargento da Polícia Militar, dois soldados e agentes penitenciários no Ceará. Eles foram apresentados em uma coletiva de imprensa na manhã desta segunda-feira (9).

De acordo com o delegado Mateus Moreira, diretor do Departamento de Polícia do Interior (DPI), a equipe de investigação recebeu denúncias de populares, que suspeitaram das ações dos homens. Jovanny Rodrigues Pinheiro, de 41 anos, e Veridiano Rabelo Júnior, de 31 anos, foram conduzidos à delegacia do município.

“Ao realizar a consulta dos nomes verificou-se que eles são foragidos do estado do Ceará. Não há informações de prática de delitos aqui no Amazonas. No Ceará, eles são acusados de roubos a bancos, roubos a carros-fortes, estouro de caixa eletrônico, morte de três policiais militares, agentes penitenciários, totalizando mais de 80 homicídios dessa quadrilha”, afirmou Moreira.

Segundo o delegado, o terceiro suspeito, José Nobre do Nascimento, de 38 anos, se apresentou espontaneamente à delegacia na tarde da quinta-feira (5). A suspeita da polícia é de que a quadrilha seja formada por 10 pessoas.

A polícia informou que os três presos estavam entre os criminosos mais procurados do Ceará. Por conta disso, eles estavam escondidos em Apuí, junto a familiares. Durante a coletiva de imprensa, Veridiano, apontado pela polícia como chefe da organização, negou ter praticado os crimes.

“Colocaram essa acusação muito forte, muito grave em mim e eu tive que sair de lá [Ceará], porque nessas horas a gente tem que sair né. Fizeram esse inquérito sem pé nem cabeça e colocaram contra mim e minha família”, disse.

Ainda esta semana os três homens devem ser encaminhados para Fortaleza, onde devem ser levados para um presídio na capital cearense. O trio vai ser indiciado por homicídio, sequestro, roubo e porte ilegal de arma de fogo de uso restrito.





Fonte: Massape Ceará



Nenhum comentário:

Postar um comentário