terça-feira, 22 de maio de 2018

Empresários suspeitos de liderar esquema de fraudes em licitações são presos no Ceará

Dois empresários, pai e filho, foram presos nesta terça-feira (22) durante uma nova fase da operação "Cascalho do Mar", que investiga fraudes em licitações em prefeituras do Ceará. Agentes da Procuradoria dos Crimes contra a Administração Pública (Procap) cumpriram mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão em Fortaleza e Pacajus.

De acordo com o Ministério Público do Ceará (MPCE), os dois presão são investigados por atuarem como líderes de uma organização criminosa que fraudava procedimentos licitatórios para prestação de serviços nas prefeituras.

Além das prisões, foram cumpridos mandados de busca e apreensão em residências e empresas em Fortaleza e Pacajus. Foram apreendidos aparelhos de celular, computadores, veículos e documentos, que serão analisados pelos investigadores.

Os presos já haviam sido investigados pela Polícia Federal e MPCE, no ano de 2015, por suposta prática de fraudes em licitações para contratação e execução de serviços de transporte escolar e locação de veículos.

A terceira fase da operação Cascalho do Mar teve a participação de 10 equipes, contando com o apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco).

Investigação
De acordo com as investigações do Ministério Público, a organização criminosa era formada por vários integrantes que criavam empresas usando "laranjas". O grupo é suspeito de fraudar diversas licitações em prefeituras cearenses.

Segundo a investigação da Procap, muitas empresas não tinham patrimônio nem funcionários. As empresas eram contratadas somente após vencer as licitações.

Prisões
A primeira fase da operação foi realizada em dezembro de 2017, com o cumprimento de medidas cautelares de prisões preventiva e temporária, busca e apreensão, condução coercitiva e afastamento de gestores públicos de Paracuru.

O prefeito de Paracuru foi afastado do cargo e preso em flagrante por porte ilegal de arma durante a ação.

Já na segunda fase, em março deste ano, foram presos empresários e procuradores das firmas investigadas durante a operação.





Fonte: G1 CE

0 comentários:

Postar um comentário