quarta-feira, 25 de julho de 2018

Sobe para 66 o número de cidades cearenses em situação de emergência por seca

Mais 26 municípios cearenses estão em situação de emergência devido a seca reconhecidas pelo Governo Federal. As cidades de Cratéus, Crato, Iguatu, Independência e São Gonçalo do Amarante estão dentro da lista apontada pela União. As informações são da Tribuna Band News.
Ao todo, subiu para 66 o total de cidades na mesma situação, segundo a Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil. Diante desse quadro, o capitão Aluíso Freitas, da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, garante que os municípios terão um apoio maior do Governo Federal para enfrentar a seca.

Segundo Aluíso, as cidades podem ter o apoio de abastecimento emergencial por meio de carros pipas, executado pelo exército brasileiro nas zonas rurais. Já o financeiro é destinado para a Defesa Civil do Estado para garantir o abastecimento emergencial nas áreas urbanas das cidades. Os agricultores também poderão renegociar suas dívidas por conta da seca.

“Os agricultores com dívidas no Banco do Nordeste podem refinanciar suas dívidas porque o município está em situação de emergência reconhecida pelo Governo Federal”, esclareceu o capitão.
De todas as regiões em situação de seca, as regiões do Sertão Central, Jaguaribe e Inhamuns são as mais preocupantes. Nos municípios, a população sofre com a crise de fornecimento de água potável.
“A situação mais grave é relacionada ao abastecimento de água. São regiões naturalmente secas e, mesmo com a quadra chuvosa dentro da média, ainda não foi o suficiente para recarregar os mananciais e voltar ao abastecimento normal”, explica o capitão.

Outros nove municípios aguardam reconhecimento do Governo Federal e estão em análise pela Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil. Entretanto, para o Governo do Estado, as cidades se encontram em situação de emergência por estiagem ou seca. A ação da Defesa Civil acontece nas áreas urbanas das cidades em situação de emergência, enquanto o Exército nas zonas rurais.




Fonte: Tribuna do Ceará



0 comentários:

Postar um comentário