sábado, 15 de dezembro de 2018

40 municípios do Ceará estão em alerta ou risco para dengue, zika e chikungunya

No estado do Ceará, 40 cidades estão em situação de alerta ou risco de surto de dengue, zika e chikungunya, de acordo com o novo Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti(LIRAa) de 2018. Desse total, 37 estão em alerta e três em risco de surto das doenças. Outras 141 estão em situação satisfatória. A capital do estado, Fortaleza, está em situação satisfatória. No  Ceará, a maior parte dos criadouros foi encontrada em depósito de água (860), seguida de depósitos domiciliares (290) e lixo (37).

Nesta quarta-feira (12), em Brasília (DF), o presidente Michel Temer e o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, entregaram mil caminhonetes para diferentes regiões do país, como força efetiva no combate ao mosquito, no atual cenário de risco dos municípios, em relação ao mosquito Aedes aegypti. Ao todo, o Ministério da Saúde investiu R$ 109,4 milhões na aquisição dos veículos.  Com essas caminhonetes os estados e municípios podem acoplar os equipamentos de fumacê para ações locais. Na ocasião, o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, apresentou os dados do LIRAa e lançou o Sistema Integrado de Controle de Vetores (SIVector), que substituirá o Sistema do Programa Nacional de Controle da Dengue (SISPNCD) com informações georreferenciadas para o controle do Aedes aegypti e Aedes albopictus.

O presidente Michel Temer reforçou que a conexão entre governo federal, municípios e estados tem favorecido a melhora da saúde no País e a redução de casos de doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. “Nos últimos tempos não tem havido notícias desabonadoras a essa atividade e assim tem sido em todos os setores da nossa administração. Esse é um momento de comemoração porque significa que os municípios brasileiros estão recebendo veículos para trabalhar pelo povo municipal”, destacou o presidente.

Ao fazer balanço dos avanços da saúde nos últimos anos, o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, destacou que, "desde 2016, o Governo Federal vem ampliando os recursos destinados à prevenção e combate ao mosquito Aedes, o que tem impulsionado o aumento da participação dos municípios no LIRAa. São investimentos em repelentes, orientações, pesquisas, e na oferta de veículos", ressaltou o ministro. Ainda segundo ele, esses investimentos têm "proporcionado aos estados e municípios a possibilidade de intensificar seus trabalhos preventivos de identificação e eliminação de criadouros do mosquito", disse Occhi.

Todas as capitais do país realizaram um dos monitoramentos de mosquito: 25 realizaram o LIRAa; e duas, armadilhas. Estão com índices satisfatórios os municípios de Curitiba (PR), Teresina (PI), João Pessoa (PB), Florianópolis (SC), São Paulo (SP), Macapá (AP), Maceió (AL), Fortaleza (CE) e Aracaju (SE). As capitais com índices em estado de alerta são: Manaus (AM), Belo Horizonte (MG) Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), Brasília (DF), São Luís (MA), Belém (PA), Vitória (ES), Salvador (BA), Porto Velho (RO), Goiânia (GO) e Campo Grande (MS).

Já as capitais Palmas (TO), Boa Vista (RR) Cuiabá (MT) e Rio Branco (AC) estão em risco de surto de dengue, zika e chikungunya por apresentarem Índice de Infestação Predial (IIP) igual ou superior a 4%. As capitais Natal (RN) e Porto Alegre (RS) fizeram o levantamento por armadilha. Todas as formas de coleta de dados ocorreram no período de outubro e novembro deste ano.







0 comentários:

Postar um comentário