sexta-feira, 16 de agosto de 2019

Preso o suspeito de matar professora cearense com mais de 25 facadas em Goiás

Um sushiman, de 35 anos, foi preso suspeito de matar a namorada, de 34, após uma discussão provocada por ciúmes, em Anápolis, a 55 km de Goiânia. Segundo a Polícia Civil, Rafael da Silva de Andrade feriu Aila Pinto Cardoso com mais de 25 facadas. Os dois estavam morando juntos havia somente dez dias após um relacionamento de quatro meses nas redes sociais.

Rafael foi detido na quinta-feira (15), em Águas Lindas de Goiás, no Entorno do DF, onde estava se escondendo. Ele, que ainda não tem advogado, alegou à polícia que agiu em legítima defesa.

O crime foi cometido no último dia 16 de julho, na quitinete onde o casal estava morando. O delegado Vander Coelho disse que, Aila morava no Ceará, mas se havia se mudando recentemente para viver com o namorado. Apesar do pouco tempo juntos, o relacionamento era conturbado.

"Nesses primeiros dez dias que eles ficaram juntos, o relacionamento já foi permeado por algumas discussões até que nessa última, que foi uma discussão mais ríspida, culminou com o homicídio", explica.

Coelho conta que no dia do crime eles almoçaram na casa do irmão de Rafael. Na volta, houve uma discussão, os dois brigaram e ela foi assassinada. Logo depois, Rafael trancou a casa e fugiu.

Após ser detido, o homem alegou que se defendeu porque seria atacado pela mulher com a faca. Porém, a forma como a vítima foi morta e quantidade de golpes descredenciam a versão perante à polícia.

"Já pela desproporção de força que os dois têm e o fato dele ter pego essa faca, os múltiplos golpes, foram mais de 25 facadas que ele deu na mulher. Isso mostra que não tem o que se dizer de legítima defesa", destaca.

Foragido por outro crime
O delegado explicou que Rafael já era foragido da Justiça por outro feminicídio, cometido em 2011, em Brasília. O delegado disse que estava cumprindo pena.

"Ele respondeu por esse crime e ficou preso por sete anos. No final do ano passado, ele recebeu um indulto de Natal, mas nunca mais voltou para a cadeia", conta.

Por conta disso, conforme o delegado, o homem evitava trabalhos de carteira assinada e optava por empregos informais.

Ele foi autuado por homicídio e pode pegar uma pena de até 30 anos caso seja condenado novamente.



Fonte: G1 CE

0 comentários:

Postar um comentário