quarta-feira, 4 de setembro de 2019

Agentes de segurança pública cearense são capacitados para operar drones

A Academia Estadual de Segurança Pública do Ceará (Aesp/CE) realizou, entre os dias 19 e 26 de agosto, a segunda edição do Curso de Operador de Drone voltado para a segurança pública. Vinte e oito agentes foram capacitados, incluindo 13 policiais militares, 11 policiais civis, um perito criminal da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce), um servidor da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) e dois militares da Capitania dos Portos do Ceará (Marinha do Brasil).

Com atividades teóricas e práticas, o treinamento, de 40 horas/aula, contou com disciplinas de Operação de RPAS (sigla de Remotely Piloted Aircraft Systems, em português, Aeronave Remotamente Pilotada); Segurança de Voo e Introdução à fotografia aérea e filmagem com drones.
Segundo o diretor geral da Aesp, Juarez Gomes Nunes Júnior, a qualificação dos profissionais para o uso de novas tecnologias faz parte da nova estratégia de segurança pública do Estado e visa reforçar as ações de inteligência. “Nosso objetivo é cada vez mais aproximar os profissionais da segurança pública das novas tecnologias, e o drone é um forte aliado das equipes de solo, porque ampliam a capacidade da visualização do cenário de crime, das atividades de defesa civil e das operações de segurança pública como um todo. Então, essa capacitação treina o profissional para operar os drones de forma segura e legal, obedecendo a legislação, durante as missões de segurança pública”, explicou o gestor.

Curso-de-Operador-de-Drone-1
A primeira turma do Curso de Operador de Drone, promovido pela Aesp, aconteceu em 2018, e qualificou 34 agentes de segurança. Outra turma do curso está prevista para ocorrer até o final deste ano.

O uso de drones na segurança pública cearense
As forças de segurança pública cearense utilizam os Veículos Aéreos Não Tripulados (Vant), os chamados drones, desde 2018, quando a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) adquiriu 27 unidades, com um investimento de mais de R$ 150 mil.

O equipamento reforça o trabalho dos profissionais de segurança em todas as vinculadas da SSPDS – Polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros Militar e Perícia Forense – em ações de policiamento ostensivo, investigações, combate a incêndio, perícia em local de crime e operações de inteligência, por meio da captação de imagens, mapeamentos, assistência aérea para as equipes de solo e monitoramento de grandes territórios e locais de difícil acesso.




(Aesp/CE)

0 comentários:

Postar um comentário