quinta-feira, 24 de outubro de 2019

MPCE cumpre 14 mandados de prisão contra organização criminosa que falsificava documentos

O Ministério Público do Ceará (MPCE) cumpriu, na manhã desta quinta-feira (24), 14 mandados de prisão contra membros de uma organização criminosa que falsificava documentos públicos e particulares. Um advogado e um contador estão entre os alvos da operação. Além dos mandados de prisão, foram cumpridos 17 de busca e apreensão. Os suspeitos atuavam em Fortaleza e na Região Metropolitana. Dos 14 mandados, 11 pessoas foram presas nesta quinta (24) e duas pessoas já estavam presas, de acordo com o Ministério Público. Apenas um segue foragido. 

Com o apoio da Polícia Civil, os investigadores cumpriram mandados de busca e apreensão nos escritórios e residências do advogado e do contador que não tiveram a identidade reveladas.

Com o material de falsificação os criminosos conseguiam agir na praça, desde compras fraudulentas no comércio à captação de empréstimos financeiros de altos valores. Os suspeitos também adulteravam veículos automotores e fraudavam o pagamento de fianças.

O promotor de Justiça responsável pela operação, Adriano Saraiva, destacou que a Operação Saratoga começou em 2016. Adriano afirma que: "durante a investigação chegamos a um esquema organizado de falsificação de documento público e particular. O esquema funcionava da seguinte forma: existia um membro da facção criminosa que cooptava clientes e eles compravam os documentos para praticar golpes no comércio e instituições financeiras. Durante a operação de hoje houve indicativo muito forte que havia lavagem de dinheiro".

Documentos fabricados
Os suspeitos tinham habilidade para fabricar documentos de transferência veicular (DUTs), carteiras de identidade, carteiras profissionais e de habilitação, títulos de eleitor, cartões de crédito, procurações, “batidas de chassi”, boletos e comprovantes de pagamento de fiança criminal, certificados e certidões escolares, e contracheques.

Para cada atividade existia um grupo específico dentro da organização onde era endereçado o material criminoso.

Negociações
Na organização criminosa os investigadores descobriram que existia uma pessoa que fazia o contato com os "clientes", fornecedores e receptadores e realizava negociações para conseguir conquistar os objetivos criminosos do grupo. 

Após as encomendas terem sido solicitadas os criminosos usavam a célula da organização especializada para confecção física dos papéis.

Mandados
Em Fortaleza, estão sendo cumpridos 8 mandados de prisão preventiva e 09 mandados de busca e apreensão.Em Caucaia, 2 mandados de prisão preventiva e 01 mandado de busca e apreensão. Em Pacatuba 2 mandados de prisão preventiva e 02 mandados de busca e apreensão.No Sistema Prisional do estado 2 mandados de prisão preventiva e 2 mandados de busca e apreensão.

O delegado Fernando Menezes destacou que a Polícia esteve presente em 15 locais, onde foram apreendidos diversos documentos, celulares e computadores. Os aparelhos eletrônicos devem ser periciados a fim de obter mais provas sobre as participações dos suspeitos no esquema criminoso. Menezes pontuou que devem haver desdobramentos da operação, que segue em segredo de Justiça. 

A Operação denominada de Saratoga está sendo realizada pelo Grupo Espescial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO), com o apoio da Coordenadoria de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública do Estado – COIN.


(Diário do Nordeste)

0 comentários:

Postar um comentário