segunda-feira, 18 de novembro de 2019

Grupo de 30 venezuelanos se refugia no interior do Ceará e vive em local abandonado

Um grupo de 30 venezuelanos, incluindo um mulher grávida e 15 crianças, está refugiado há cerca de uma semana no município de Sobral, interior Ceará, vivendo em uma hospedagem abandonada e com estrutura precária cedida provisoriamente pelo proprietário.

No total, 15 crianças e 15 adultos, entre homens e mulheres, estão abrigados no local. Amilka Guidá, um dos refugiados, relata que chegou ao Brasil pela região Norte, passou por Brasília, até chegar a Fortaleza e depois a Sobral, cinco dias atrás. Segundo ele, além do grupo que já está instalado, outros venezuelanos estão a caminho do município cearense.

“Eu vim de lá [Venezuela] para melhorar um pouco a minha vida. Cheguei ao Brasil e trouxe a minha família porque eles estavam morrendo de fome na Venezuela”, conta Amilka Guidá, único do grupo que fala português, ainda pouco fluente.

Nesta segunda-feira (18), os venezuelanos devem ser acomodados em uma casa disponibilizada pela paróquia do Bairro de Tamarindo.

Desde 2017, milhares de venezuelanos deixam o país de origem em busca de melhores condições em outras cidades, inclusive dezenas de cidades brasileiras.

Pedido de ajuda
“Nós homens estamos precisando de serviço, estamos querendo começar a trabalhar. Nós temos esse direito. Nossas mulheres também estão precisando de serviço. Gostamos de Sobral e vamos ficar aqui”, afirma Amilka. O venezuelano conta que conseguiu ajuda de moradores com alimentação e vestimenta.

“Nós não vamos mais regressar à Venezuela porque estamos melhor aqui. O brasileiro tem bom coração para ajudar o venezuelano. Estávamos pedindo ajuda nos sinais, mas quando chegamos aqui trouxeram comida”, lembra.

A cabeleireira Simone Furtado recorda como encontrou o grupo, ainda na manhã deste domingo (17). “Eu estava passando para ir pra casa e vi eles pedindo ajuda. Fiquei das 8h até às 16h de ontem com eles. As crianças estavam muito sujas e aquilo me comoveu, então, pedi ajuda de vizinhos para conseguir roupas e comida. Estamos atrás de pedir ajuda para conseguir produtos higiênicos agora”, pede. Ainda não se sabe as condições exatas em que o grupo chegou.

Lugar adequado
O pároco da Catedral de Sobral, Lucione Queiroz, explica que tomou conhecimento da presença do grupo, neste domingo (17), durante a realização de um evento, na Paróquia Nossa Senhora Do Patrocínio: “ontem celebramos o Dia do Pobre com um café comunitário e eles chegaram lá”.

O sacerdote informou que uma casa da paróquia será preparada ainda hoje para o grupo. “A transferência será feita ainda hoje. As crianças e mães irão para um abrigo provisório e os homens irão para a casa fazer a limpeza do local”, garante.

Socorro de Jesus, coordenadora da Cáritas Diocesana de Sobral, pontua que é a primeira vez que este tipo de atendimento é prestado no município.

“O serviço é novo em Sobral, mas vem sendo desenvolvido pelo Brasil. Agora, vamos dar assistência na educação, saúde e encaminhar essas pessoas ao mercado de trabalho”, informa, pontuando que uma das grandes dificuldades é a língua. "Até para saber como eles chegaram porque quando sabemos isso o acolhimento vem mais cedo”, explica.


(G1 CE)


0 comentários:

Postar um comentário