segunda-feira, 11 de novembro de 2019

Estudos apontam que pescado de áreas atingidas por óleo no NE está próprio para consumo

Exames feitos em amostras de peixes e lagostas do litoral nordestino apontam que o pescado está próprio para consumo, segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Os resultados dos estudos revelam níveis baixos dos Hidrocarbonetos Policíclicos Aromáticos (HPA), não representando riscos para o consumo humano.

Segundo o Mapa, as amostras estudadas foram coletadas em estabelecimentos registrados no Serviço de Inspeção Federal (SIF) nos estados da Bahia, Ceará, Pernambuco e Rio Grande do Norte. No total, 37 compostos de HPAs foram avaliados. O Mapa não diz em quais áreas afetadas as amostras foram retiradas para exame. Os resultados dos testes foram divulgados nesta segunda-feira (11).

"As amostras para monitoramento da situação de segurança do consumo de pescado continuam sendo colhidas e, conforme a liberação dos resultados das análises, serão divulgados", diz o Mapa por meio de nota.

Contaminação por óleo
No dia 7 de novembro, o Núcleo de Tecnologia e Qualidade Industrial do Ceará (Nutec) informou que uma média de 200 amostras de pescados comercializados nos municípios cearenses seriam analisadas pelos laboratórios de química e alimentos. 

O estudo, realizado junto com a Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Ceará (Adagri), promete analisar produtos oriundos do mar e investigar a contaminação por benzeno, por hidrocarbonetos totais de petróleos, hidrocarbonetos policíclicos aromáticos e metais.




0 comentários:

Postar um comentário