sexta-feira, 27 de dezembro de 2019

Funcionário da Prefeitura de Senador Pompeu é morto por pistoleiros

Com pouco mais de 48 horas do assassinato do prefeito do Município de Granjeiro, um novo assassinato com suposta motivação política é registrado no interior do Ceará. O palco da violência desta vez foi a cidade de Senador Pompeu, na região do Sertão Central do estado (a 273Km de Fortaleza). Na tarde desta quinta-feira (26), um servidor da prefeitura daquele Município foi executado a tiros por matadores de aluguel.

A vítima foi identificada como sendo o jovem Cícero Flávio Uchoa do Nascimento de Idairã, 22 anos, que trabalhava no setor de Comunicação e Imprensa da prefeitura, responsável pelas postagens de notícias nas redes sociais.  Na tarde desta quinta-feira, por volta de 14h30, ele foi morto na Rua da Lama, no bairro Nova Brasília.

De acordo com os primeiros levantamentos realizados pela Polícia, Flávio foi atingido por, pelo menos, três tiros de pistola, um deles na cabeça, o que caracterizou um crime de execução sumária. O corpo do rapaz foi encontrado caído na calçada de uma residência. Os assassinos teriam fugido do local em um veículo ainda não identificado.

Após os primeiros levantamentos na cena do crime, o corpo do servidor foi encaminhado ao Núcleo da Perícia Forense do Ceará (Pefoce) da cidade de Russas, onde foi necropsiado pela equipe de legistas de plantão.

Flávio foi assassinado em circunstâncias que apontam para um crime de pistolagem. Ele estaria realizando um trabalho na Prefeitura que teria desagradado os oponentes políticos da atual gestão municipal.

O prefeito de Senador Pompeu, Maurício Pinheiro (PDT), emitiu uma nota de pesar pela morte do servidor, lamentando o crime e colocando a Prefeitura à disposição das autoridades da Segurança Pública para colaborar na apuração do fato.

Segundo
Este foi o segundo crime de morte com suposta motivação política que ocorre no Ceará nas últimas 48 horas. Na manhã da última terça-feira (24), o prefeito do Município de Granjeiro (a 478Km de Fortaleza), João Gregório Neto, 54 anos, foi morto, a tiros, quando fazia caminhada.  O caso é investigado pelo Núcleo de Homicídios e Proteção à Pessoa (NHPP), da Delegacia Regional de Polícia Civil de Juazeiro do Norte.


(CN7)

0 comentários:

Postar um comentário