quarta-feira, 8 de abril de 2020

Universidade de Fortaleza vai fazer testes de diagnóstico da Covid-19; resultados sairão em até 48h

Com o intuito de aumentar a capacidade de diagnóstico precoce do novo coronavírus pelas autoridades de saúde, ampliando assim o controle da transmissão do vírus no Ceará, a Universidade de Fortaleza vai começar a realizar 3 mil testes por mês da Covid-19 na capital cearense.

A expectativa é que a testagem comece no início da segunda quinzena de abril e que o número de testes dobre posteriormente, chegando à marca de 6 mil mensais. Já os resultados serão emitidos em um prazo de 24 a 48 horas.

A Unidade de Diagnóstico Covid-19 - Unifor vai funcionar durante 24 horas por dia e em todos os dias da semana no Laboratório de Bioagentes Patogênicos do Núcleo de Biologia Experimental (Nubex), da universidade. 

No local, atuarão 24 profissionais de nível médio e superior com experiência em extração de RNA e RT-PCR, dentre eles alunos do Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas da Universidade.  Farmacêuticos e técnicos do Laboratório de Análises Clínicas do Núcleo de Assistência Médica Integrada (Nami), da instituição, também vão colaborar com as análises. 

“O diagnóstico precoce da Covid-19 é um dos objetivos estratégicos do Sistema Único de Saúde na resposta à pandemia. Ele permite o isolamento de casos. A quarentena, associada às medidas de distanciamento social da população, evita a saturação do sistema de saúde e reduz os índices de mortalidade. Isso porque existe uma preocupação com o número de unidades de terapia intensiva e leitos nos hospitais do Ceará”, destaca a professora do Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas e curso de Farmácia da universidade, Cristina Moreira, atual diretora do Nubex.

Requisitos cumpridos
Os testes para diagnóstico do novo coronavírus serão realizados pela Universidade de Fortaleza em parceria com o Laboratório Central de Saúde Pública do Ceará (Lacen-CE) e com o apoio da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap). 

Como forma de assegurar a proteção das equipes de trabalho, a instituição afirma que todos os requisitos de biossegurança exigidos serão observados nos procedimentos, a partir do uso de equipamentos de proteção individual (EPIs) e manuseio adequado das amostras contaminadas e equipamentos laboratoriais calibrados. 

De acordo Cristina, que também é mestre e doutora em Bioquímica, o investimento que a Universidade de Fortaleza vem fazendo em pesquisa e infraestrutura, voltadas para a geração de conhecimento científico e biotecnológico, trarão resultados positivos à sociedade nos próximos anos. 

“Nesse momento peculiar que estamos vivenciando, em nível global, esse investimento gerará outros frutos para a sociedade. Estamos disponibilizando e adequando laboratórios, equipamentos, insumos, kits diagnósticos e recursos humanos especializados e empenhados para o enfrentamento da Covid-19. Essa contribuição reforça o importante papel social desempenhado pela Universidade de Fortaleza”.

Coronavírus no Ceará
O Estado já registra 42 mortes e 1.268 casos confirmados de Covid-19, conforme dados da plataforma IntegraSUS, atualizados às 9h15 desta quarta-feira (8). 

Todos os mais de 1.200 diagnósticos positivos foram verificados em 41 municípios cearenses, ficando a maior parte concentrada em Fortaleza (1.121), que ontem registrava 1.053 infectados.


(Diário do Nordeste)



0 comentários:

Postar um comentário