quarta-feira, 20 de maio de 2020

Servidores estaduais podem suspender empréstimo consignado

Os servidores estaduais do Ceará poderão suspender por até três meses o desconto em folha de pagamento de empréstimos consignados no Bradesco. A medida foi anunciada nesta quarta-feira (20) em ofício enviado pelo banco ao Governo do Estado. Há quase dois meses, servidores articulavam o benefício junto ao Governo e ao Poder Legislativo.

Após solicitação da Secretaria do Planejamento e Gestão (Seplag), através do secretário Flávio Jucá, o Bradesco decidiu também ampliar o prazo máximo dos empréstimos de 72 para 96 meses e oferecer carência de três meses para novos empréstimos.

O benefício não é automático e ficará a critério do servidor estadual ser atendido pelas medidas. Ainda serão anunciados os formatos de adesão.

"Estima-se que de 8 a 10 mil servidores serão beneficiados com essa decisão. Ela é facultativa, porém, querendo ou não, (os servidores) serão beneficiados. É uma vitória grande para nós, servidores do Estado", afirma o servidor estadual Felipe Lira, um dos mobilizadores da ação.

A medida ocorre durante a pandemia de coronavírus no Ceará, um dos estados mais afetados pela doença no Brasil. Já são mais de 1,8 mil óbitos e mais de 28 mil pessoas infectadas pela Covid-19 no estado.

Processos
A primeira tentativa de suspender os empréstimos consignados partiu do deputado estadual Osmar Baquit (PDT), que enviou requerimento ao Governo do Estado, pedindo que buscasse solução junto ao banco responsável pela folha de pagamento.

No início de março, segundo o deputado, o Governo, através da Secretaria de Planejamento e Gestão, consultou o banco, responsável pela folha de pagamento dos servidores estaduais, sobre a possibilidade de serem suspensos por dois meses os descontos em folha a partir dos empréstimos consignados.

O Bradesco, no entanto, negou o pedido, sob alegação de que somente estados que tivesse atrasos nos salários seriam beneficiados, segundo Baquit.

Depois da negativa, os servidores entraram com pedido de liminar na Justiça, que também foi indeferido. Já na Assembleia Legislativa, o deputado apresentou novo requerimento pela suspensão dos pagamentos.

"Entrei com requerimento na Assembleia Legislativa que foi aprovado por unanimidade para que os servidores tivessem suspensos pelo menos por dois meses seus empréstimos consignados com o Bradesco. Conversei com o governador Camilo Santana, que autorizou o secretário Flávio Jucá ter essa conversa com o Bradesco", disse Baquit, nesta quarta-feira (20), comemorando a decisão do banco.


(G1 CE)


0 comentários:

Postar um comentário