quarta-feira, 24 de junho de 2020

Golpes de clonagem de WhatsApp aumentaram em 11% em maio, segundo estudo

O dfndr lab, laboratório especializado em segurança digital da PSafe, realizou um levantamento sobre o cenário da cibersegurança no Brasil referente a maio deste ano. Segundo o estudo, estima-se que 407 mil brasileiros tiveram o WhatsApp clonado em todo País. São Paulo segue liderando a lista de estados mais afetados, com 81,6 mil vítimas, seguido pelo Rio de Janeiro, com 53,5 mil e Minas Gerais, com 36,2 mil.

WhatsApp Payments
Além de ser o principal vetor de disseminação de links maliciosos, o WhatsApp continua sendo alvo dos golpes de clonagem. Emilio Simoni, o diretor do dfndr lab, explica: “é possível que a chegada da nova tecnologia de pagamentos dentro do mensageiro expanda os vetores de ataques disponíveis para criminosos. Com o aumento do número de clonagens de WhatsApp, por exemplo, é possível que o WhatsApp Payments seja explorado pelos criminosos para obter recursos financeiros das vítimas. Além disso, os atacantes encontrarão formas de conseguir acesso aos celulares dos usuários para efetuar pagamentos e transferências até atingir o limite disponível”.

No próprio site do WhatsApp é possível entender um pouco sobre o recurso. Ele possibilita transferências de fundos entre contas bancárias, logo, os bancos precisam receber as informações sobre cada pagamento. Desse modo, as transações não podem ser protegidas pela criptografia de ponta a ponta.

Promessas de falsos benefícios
Ainda de acordo com o estudo, em maio foram detectados 136 mil golpes únicos. Desde o início da pandemia, o dfndr lab vem realizando um monitoramento ativo sobre os golpes que ocorrem em proveito do Coronavírus. Juntos, estes ataques impactaram 10,6 milhões de usuários em todo o país. As promessas de falsos benefícios – como páginas
falsas que simulam o saque do FGTS – foi a temática mais utilizadas pelos cibercriminosos, atingindo mais de 27 milhões de acessos e compartilhamentos.

Como se proteger
Simoni lista alguns cuidados que os usuários devem ter para não cair em golpes como este:

1 – Ative a autenticação em dois fatores, disponível no próprio WhatsApp, para aumentar a segurança da conta.

2 – Antes de realizar qualquer tipo de pagamento, fornecer seus dados pessoais ou informações bancárias certifique-se que a pessoa com que você está se comunicando é confiável. Além disso, tenha cuidado ao clicar em links compartilhados no WhatsApp ou nas redes sociais.

3 – Mantenha um bom sistema de segurança instalado no seu celular. Dê preferência para um que tenha tecnologia para bloquear golpes no WhatsApp. A Psafe oferece o dfndr security como solução.

4 – Em caso de dúvida sobre as medidas de proteção que estão sendo tomadas quanto à segurança de alguma transação que você realizou, procure seu banco.




0 comentários:

Postar um comentário