quinta-feira, 23 de julho de 2020

Operação da Polícia Civil desarticula facção criminosa e captura mais de 10 pessoas no interior do Ceará

A Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) deflagrou, por volta das 4h desta quinta-feira (23), a primeira fase da Operação Carcará em municípios do Centro-Sul e Cariri cearense. O objetivo é o cumprimento de de 24 mandados de prisão, sendo 22 deles também alvos de busca e apreensão, nas cidades de Saboeiro, Icó, Tauá e Iguatu. O alvo da operação é uma organização criminosa suspeita de cometer homicídios, tráfico de drogas e lavagem de dinheiro, dentre outros crimes que vêm sendo praticados há décadas e de forma mais intensa em Saboeiro. Segundo a polícia, o grupo desarticulado na Operação Carcará, ainda em andamento, já arrecadou milhões de reais por meio do tráfico.

Até a publicação desta matéria, mais de 10 pessoas tinham sido capturadas, entre presos - incluindo homens e mulheres - e adolescentes apreendidos. Também houve apreensão de armas e drogas nas primeiras horas da operação.

Embora Saboeiro seja o foco da Carcará, as cidades de Icó, Tauá e Iguatu também se tornaram alvo da operação, devido à forma de atuação do grupo. "A gente sabe que o determinado grupo criminoso não atua só naquela cidade [Saboeiro], tem várias ramificações. Então, a gente teve o zelo de pegar toda a teia criminosa, identificar e transformar em algo que hoje vai ser cumprido em quatro cidades", detalhou o delegado William Lopes, do Departamento de Polícia do Interior (DPI) Sul.

A operação reúne mais de 100 policiais, entre escrivães, inspetores e delegados. "A operação está apenas começando e, com certeza, vamos lograr êxito nessas prisões e nos mandados de busca e apreensões também. Ela tem o objetivo de coibir essa organização criminosa que há décadas vem assolando a região de Saboeiro", afirma o delegado Glauber Ferreira, titular da Delegacia de Iguatu.

De acordo com ele, a Operação Carcará foi designada inicialmente para apurar crimes de homicídio registrados nos últimos meses em Saboeiro. "Nesse primeiro semestre [de 2020], foram mais de 11 homicídios e todos sem solução em Saboeiro. Diante desse cenário atípico, a Delegacia Geral determinou a criação de uma força-tarefa. E a partir dela, começamos a investigar os homicídios".

Além da descoberta dos outros crimes, acrescenta Glauber Ferreira, a força-tarefa permite agora a desarticulação da organização criminosa.


(G1 CE)


0 comentários:

Postar um comentário