quinta-feira, 20 de agosto de 2020

PF prende no Ceará homem que transmitia conteúdo pornográfico infantil pela internet

Um homem foi preso em flagrante pela Polícia Federal pela transmissão pela internet de imagens de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes em Fortaleza, na manhã desta quinta-feira (20). Um celular, um HD e outros equipamentos foram apreendidos com ele.

O suspeito era alvo de mandado de busca e apreensão na operação permanente Arquivo Proibido, que investiga a posse e divulgação de imagens ou vídeos de pornografia infantojuvenil na internet. Ele foi flagrado transmitindo conteúdo pornográfico no momento em que os policiais chegaram para cumprir o mandado, segundo o delegado Paulo Henrique Oliveira Rocha, da Delegacia Regional de Combate ao Crime Organizado.

O homem, de 25 anos, foi autuado por vender ou expor à venda fotografia, vídeo ou outro registro de cena pornográfica envolvendo criança ou adolescente, no artigo 241-A do Estatuto da Criança e Adolescente (ECA).

Ele foi conduzido à sede da Superintendência Regional da Polícia Federal. A pena prevista é de prisão por três a seis anos e pagamento de multa.

Segundo o delegado, a partir do material apreendido, os policiais vão identificar qual a frequência das transmissões que o homem fazia e pode ajudar a identificar outros suspeitos. "Essas descobertas vão auxiliar tanto para confirmar a materialidade do crime, quanto para identificar alguma rede que ele participe que faça o intercâmbio de imagens contendo pornografia infantil", explica Rocha.

Outras apreensões
A Operação Arquivo Proibido começou em agosto de 2019. As investigações são conduzidas pelo Grupo de Repressão aos Crimes Cibernéticos (GRCC) com a utilização de técnicas especiais de inteligência.

Em 12 de junho, a operação cumpriu dois mandados de busca e apreensão nos municípios de Massapê e Meruoca, na Região Norte do Estado. Em 3 de julho, foi cumprido um mandado de busca e apreensão na capital. No dia 22 de julho, os policiais cumpriram mandado e apreenderam materiais de informática na Região Metropolitana de Fortaleza.

O delegado Paulo Henrique explica que o trabalho é realizado pelo monitoramento da internet e tem apoio de ONGs e polícias de outros países. "Constantemente são cumpridos mandados de busca e apreensão em residências e estabelecimentos", afirmou o titular.


(G1 CE)

0 comentários:

Postar um comentário