quinta-feira, 17 de dezembro de 2020

Filhos de vereadora eleita e chefe de facção se tornam réus por chacina de Ibaretama

Os dois filhos da vereadora Edivanda de Azevedo se tornaram réus por envolvimento na chacina de Ibaretama. A 1ª Vara da Comarca de Quixadá aceitou a denúncia apresentada pelo Ministério Público do Ceará contra eles e o chefe de facção Wandeson Delfino de Queiroz. A vereadora foi indiciada pelo crime.

Os três foram os primeiros alvos da Polícia Civil na investigação sobre a chacina, que aconteceu no dia 26 de novembro, na cidade de Ibaretama, no interior do Ceará. O evento criminoso deixou sete pessoas mortas, das quais duas eram de uma mesma família. Uma das vítimas foi uma criança de seis anos de idade.

Os irmãos Francisco Victor Azevedo Lima e Kelvin Azevedo Lima são suspeitos de prestar apoio logístico para que o grupo criminoso de Wandeson realizasse as execuções. As investigações da Polícia Civil apontam para, além das disputas de facções, a intenção de que os roubos cessassem no reduto eleitoral da vereadora eleita. A reportagem não encontrou a defesa dos réus.

"Pela análise dos autos, verifico indícios suficientes de autoria e de materialidade, configurando, configurando a justa causa penal necessária ao recebimento da exordial", escreveu o juízo de Quixadá, ao aceitar a denúncia contra os filhos da vereadora e o chefe de facção.

Edivanda de Azevedo, o irmão Edvan Lopes dos Santos Azevedo e o enteado Josenias Paiva de Andrade Lima foram indiciados pelas autoridades policiais, mas o MPCE ainda não ofertou denúncia contra eles. Wandeson Delfino, por sua vez, tem um mandado de prisão contra si em aberto e é considerado foragido da Justiça.


(G1 CE)



0 comentários:

Postar um comentário