Vagner Calçados

quinta-feira, 5 de agosto de 2021

Polícia Federal deflagra operação contra desvio de recursos do FUNDEB no interior do Ceará

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (5/8), em conjunto com a Controladoria Geral da União, a OPERAÇÃO MATRIOSKA, visando desarticular esquema de fraude em licitações, lavagem de dinheiro, corrupção e organização criminosa envolvendo recursos públicos federais, entre os anos de 2013 e 2020. Os suspeitos têm atuação no Estado do Ceará e em específico na região de Russas (CE), com indícios de participação de empresários, políticos, servidores públicos e laranjas ou testas de ferro.

Cerca de 140 policiais federais e 10 auditores da CGU  cumpriram  30 mandados de busca e apreensão, expedidos pela 15ª Vara da Justiça Federal de Limoeiro do Norte/CE, nas cidades de Fortaleza, Icapuí, Cascavel e Russas/CE, Caçapava do Sul/RS e Brasília/DF. Estão sendo bloqueados valores ilícitos nas contas dos investigados.

As investigações tiveram início em 2017, em decorrência do apurado na Operação Hora do Lanche, deflagrada em 2015. Com o aprofundamento das investigações e análises de dados fiscais e bancários dos envolvidos, PF e CGU levantaram indícios de atuação de esquema criminoso para fraudar e/ou direcionar licitações em Russas/CE, envolvendo recursos do FUNDEB –  Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, com o envolvimento de empresas de fachada e empresas que guardavam ligação com empresário suspeito naquele município, o qual, coordenando ações de laranjas ou interpostos financeiros, beneficiava-se economicamente desse esquema de corrupção e lavagem de capitais, juntamente com servidores públicos e políticos.

Identificou-se a atuação de servidores públicos, secretários municipais e políticos de Russas/CE e de outros municípios em esquema de pagamentos de propinas, inclusive por meio de laranjas ou interpostas pessoas. Apurou-se possível participação de integrantes de facções criminosas atuantes no âmbito nacional.

Os indiciados responderão, na medida de sua participação, pelos crimes de fraude em licitações, lavagem de dinheiro, corrupção e organização criminosa – artigos 90, 91 e 92 da lei 8.666/93; Art. 1º, § 4º da Lei 9.613/98; art. 317 e 333 do Código Penal e art.2º, § 4º, inciso II e IV da Lei 12.850/2013.

O termo Matrioska é alusão às bonecas russas e remete à complexidade da teia criminosa investigada. As investigações continuam, com análise do material apreendido na operação policial.


(Comunicação Social da Polícia Federal no Ceará)




0 comentários:

Postar um comentário